Dicas de filmagem com a FS5

Parte 1 do conselho de Alister Chapman, especialista em filmadoras, sobre como obter a melhor qualidade de imagem com a Sony PXW-FS5.

Loading video...

A PXW-FS5 produz imagens de excelente qualidade com as definições de fábrica padrão, mas também oferece muitas outras coisas que você pode fazer para ajustar a qualidade de imagem para adequá-la às suas próprias necessidades ou para criar visuais diferentes. A FS5 também pode filmar usando S-Log2 e S-Log3 para um fluxo de trabalho no estilo “filme”, onde o objetivo é capturar o melhor “negativo digital” possível para ser levado à pós-produção para ajuste, correção de cores e gradação visando produzir uma ampla variedade de visuais com diferentes estilos.

Perfis de fotos

A FS5 vem com 9 perfis de fotos pré-programados. Eles estão integrados na filmadora como memórias e cada um proporciona um visual ligeiramente diferente das definições padrão. Você pode usar esses perfis de fotos como estão ou ajustar as definições de cada perfil conforme as suas necessidades. Os perfis de fotos de 1 a 6 estão configurados para uma filmagem ao estilo de “o que vê é o que você captura” por padrão, onde a imagem visualizada no visor eletrônico é a imagem que será vista pelo espectador final. Os perfis de fotos 7, 8 e 9 estão configurados para filmar usando gamas de log S-Log2, S-Log3 e RAW da Sony, onde parte importante do fluxo de trabalho é o ajuste ou a gradação de cores da filmagem em um computador. Para tentar tornar as coisas mais fáceis de entender, primeiramente vejamos os perfis de fotos de 1 a 6. A segunda metade deste documento cobrirá a filmagem com S-Log2 e S-Log3, usando os perfis de fotos 7, 8 e 9. Usar os perfis de fotos é muito simples. Tudo o que você precisa fazer é pressionar o botão Perfil de foto na lateral da câmera e usar o botão de rolagem ou o joystick para percorrer os perfis e escolher o que será usado.

OBSERVAÇÃO: Se você alterar alguma definição de um perfil de foto, poderá retornar à definição padrão de fábrica abrindo as definições de Perfil de foto e usando a opção de redefinição. Isso redefinirá o Perfil para as definições padrão de fábrica. Ao ajustar a definição da FS5, é importante entender que as melhores imagens possíveis quase sempre poderão ser obtidas usando a sensibilidade nativa da FS5. A sensibilidade nativa é facilmente ajustada definindo a seleção de Ganho/ISO das câmeras (no menu da câmera) para Ganho e ajustando o ganho para 0 dB. Isso assegurará que a sensibilidade da câmera sempre seja a ideal para qualquer curva de gama selecionada. Se você optar por usar ISO em vez de Ganho, leve em consideração que as diferentes curvas de gama têm intervalos de brilho e contraste diferentes. Como resultado, o ISO que representa a sensibilidade nativa da câmera varia conforme a curva de gama escolhida. Consulte a tabela a seguir para saber qual ISO usar para obter o menor ruído e o maior alcance dinâmico em cada curva de gama. Para evitar confusão, recomendo o uso de Ganho em vez de ISO.

Perfis de fotos 1 a 6

Veja o que cada Perfil oferece por padrão.

Perfil de foto 1

O Perfil de foto 1 é um espelho das definições padrão da filmadora.

Perfil de foto 2

O Perfil de foto 2 proporciona uma aparência que imita as imagens que você poderia capturar com uma câmera DSLR típica. As imagens têm alto contraste com sombras profundas e escuras e cores ricas e vibrantes. Esse perfil pode funcionar bem com vídeos de música, festivais e eventos, ou em qualquer outra coisa onde você deseja empregar uma aparência vibrante e colorida.

Perfil de foto 3

O Perfil de foto 3 usa a curva de gama ITU709 juntamente com o modo de cores Profissional. ITU709 é a curva de gama padrão na televisão HD. Como resultado, essa combinação proporciona um contraste natural com boas cores naturais que podem ser matizadas e ajustadas na pós-produção, se necessário.

Perfil de foto 4

O Perfil de foto 4 usa a gama ITU709 combinada com o modo de cores 709. O resultado final é muito semelhante ao da definição padrão, mas as cores são um pouco mais saturadas.

Perfil de foto 5

O Perfil de foto 5 usa um dos 4 cinegammas disponíveis na FS5. As curvas de gama Cinegammas proporcionam um melhor intervalo dinâmico que ajuda a câmera a lidar com condições de iluminação adversas. Elas têm uma transição de brilho aprimorada, como um filme, de modo que as cenas com superexposição e com muito brilho frequentemente têm melhor aparência. As cores são ligeiramente suavizadas (menos saturadas), também para imitar um filme e dar uma aparência de filme. O Perfil 5 funciona muito bem em áreas externas ensolaradas ou em qualquer cena com tons brilhantes. Ele também é excelente quando você quer uma aparência com um pouco menos de contraste, mais semelhante à do filme, diretamente da câmera. OBSERVAÇÃO: Para aproveitar o máximo dos cinegammas, eles devem ter uma exposição um pouco mais escura do que a exposição das curvas de gama normais. Se necessário, pequenos ajustes no brilho podem ser feitos na pós-produção. Nas curvas de gama convencionais, é comum definir a exposição de faces e tons de pele para cerca de 70%. Nos cinegammas, eu recomendo usar 60-65% de exposição para faces e tons de pele. Isso proporcionará um intervalo de exposição maior e, como resultado, os destaques tendem a ter uma aparência muito melhor.

Perfil de foto 6

O Perfil de foto 6 é muito semelhante ao Perfil 5. A única diferença é que ele usa o Cinegamma 2 em vez do Cinegamma 1. O Cinegamma 2 tem uma curva de gama praticamente igual à do Cinegamma 1, mas com uma diferença fundamental. O Cinegamma 2 tem seu nível de gravação de pico limitado a 100% (100IRE). Isso significa que essa curva nunca excederá o limite de 100% usado para transmissão de TV, de modo que o Perfil de foto 6 é uma opção segura para qualquer tipo de feed de transmissão ao vivo ou para qualquer coisa que não precise ser matizada ou ter as cores corrigidas para transmissão. De fato, todas as outras curvas de gama da FS5 (exceto S-Log3) podem gravar em níveis que excedem 100%. Isso é muito comum nas câmeras de vídeo digital modernas, permitindo que a câmera utilize todo o intervalo de gravação.

Em cada um dos perfis existem diversas definições que podem ser alteradas e ajustadas, inclusive a nitidez da imagem, a saturação (intensidade de cores), o modo de cores (matriz) e a curva de gama. Os dois ajustes principais são a curva de gama, que afeta o contraste da imagem e o intervalo dinâmico que pode ser capturado, e o modo de cores, que altera a intensidade das cores e o matiz das cores capturadas. Você pode misturar e combinar qualquer curva de gama com qualquer modo de cores para criar um perfil de foto personalizado.

Curvas de gama

Vejamos cada uma das curvas de gama.

Gama padrão

Gama padrão é a curva de gama padrão das câmeras. Ela proporciona um bom contraste realista quando vista na maioria das TVs normais.

Cinegamma 1

O Cinegamma 1 é um dos 4 cinegammas da Sony. Todos os cinegammas possuem um intervalo dinâmico ampliado, de modo que podem lidar bem com situações de iluminação adversas. Além disso, eles têm uma transição de brilho semelhante à do filme, de modo que superexposições têm uma aparência mais natural do que os frequentes visuais ‘eletrônicos’ provenientes da superexposição em gamas convencionais. O Cinegamma 1 tem o maior intervalo dinâmico de todos os cinegammas, funcionando muito bem em cenas brilhantes ou filmagens ao ar livre. O maior intervalo dinâmico significa que o contraste visualizado é ligeiramente menor do que nos gamas padrão. Além disso, os cinegammas foram projetados para uma exposição um pouco menor do que os gamas normais. No gama normal, é comum expor tons de pele a cerca de 70%. Os cinegammas se beneficiam de uma exposição um pouco mais escura, com tons de pele em torno de 60%. Essa exposição ligeiramente mais escura ajuda a melhorar a transição de brilho. Assim, você pode aumentar um pouco o brilho da filmagem na pós-produção com uma pequena correção de cores ou ajuste de gradação. O Cinegamma 1 é a curva de gama ideal para cenas ao ar livre ou brilhantes. O Cinegamma 1 é igual ao Hypergamma 4 da Sony.

O Cinegamma 1 é a curva de gama ideal para cenas ao ar livre ou brilhantes.

Alister Chapman
Filmmaker

Cinegamma 2

O Cinegamma 2 é uma curva de gama igual ao Cinegamma 1, mas, nesse caso, a curva é mantida muito ligeiramente mais baixa no nível de gravação, de modo que nunca exceda 100%. As outras curvas de gama da FS5 podem gravar a até 109%, o que oferece uma maior flexibilidade na pós-produção. Mas isso significa que o Cinegamma 2 é mais adequado para aplicações diretas de transmissão no ar ou quando a filmagem não pode ser matizada ou ajustada antes da transmissão.

Cinegamma 3

O Cinegamma 3 tem um intervalo um pouco menos dinâmico do que o Cinegamma 1, o que resulta em uma imagem com um pouco mais de contraste.

Cinegamma 4

As sombras do Cinegamma 4 são um pouco mais brilhantes. Isso pode ser útil ao filmar cenas mais escuras para as quais você ainda precisa de um bom intervalo dinâmico e de uma bela transição de brilho.

Gama ITU709

O gama ITU709 é o gama padrão para produções de televisão HD, de modo que, quando visto em uma HDTV normal, essa curva de gama proporciona um contraste realista e natural, mas com um intervalo de gama limitado.

Gama ITU709 (800)

O gama ITU709 (800) é muito semelhante em sombras e médio alcance ao ITU709 normal, proporcionando um contraste de médio alcance de aparência natural, mas tem um intervalo dinâmico ampliado (800%) com transição de brilho melhor para lidar com cenas mais brilhantes ou intervalos dinâmicos maiores. S-Log2/S-Log3: serão explicados mais detalhadamente mais tarde.

Níveis de exposição recomendados para gamas padrão e cinegammas

Ao usar as curvas de gama normais, como ITU709, é normal expor tons de pele a cerca de 70% e papel branco ou similar a cerca de 90%. Você pode usar zebras definidas para 70% com um pouco de padrão zebra na face, por exemplo.

OBSERVAÇÃO: Se você for usar cinegammas, lembre-se de que eles foram projetados para ser matizados ou passar por correção de cores e, portanto, devem ter uma exposição um pouco mais escura. Ajustar para uma exposição um pouco mais escura permite que você capture um maior intervalo de destaques e obtenha uma melhor transição de superexposição. Em minha experiência, consigo melhores resultados de cinegammas ajustando a exposição para papel branco entre 75 e 80% ou tons de pele entre 60 e 65%. Se o firmware da FS5 estiver atualizado, você pode definir as zebras para 60% e usá-las para definir a exposição de tons de pele. Assim, caso queira, durante a pós-produção, você poderá aplicar um ganho simples ou uma correção de brilho para iluminar a imagem, se achar necessário.

Alterar o modo de cores

Alterar o modo de cores muda a maneira como a filmadora reproduz as cores. Lembre-se de que é possível misturar e combinar curvas de gama e modos de cores para criar seus próprios visuais personalizados. O modo de cores padrão proporciona cores muito vibrantes, porém neutras.

Modo de cores padrão

O modo de cores padrão proporciona cores muito vibrantes, porém neutras.

Modo de cores estático

O modo de cores estático foi projetado para corresponder a uma câmera DSLR ou de imagens estáticas. As cores são um pouco mais saturadas (vívidas) do que no modo padrão, e os vermelhos e os azuis são mais profundos.

Modo de cores de cinema

O modo de cores de cinema foi primariamente concebido para ser usado com os cinegammas, visando proporcionar uma aparência de filme. O modo de cores de cinema proporciona uma imagem ligeiramente dessaturada com azuis mais azuis, como um filme.

Modo de cores profissional

O modo de cores profissional proporciona uma saturação ligeiramente reduzida, de modo que parece um pouco menos vívido do que o padrão, mas as cores são muito precisas e agradáveis. Ele é particularmente útil para imagens que serão matizadas e que passarão por correção de cores ou ajustes na pós-produção.

ITU709

O ITU709 foi projeto para trabalhar com a curva de gama ITU709 visando proporcionar cores mais realistas quando vistas em uma HDTV normal. Ele é ligeiramente mais azul do que o modo de cores padrão|.

Modo P/B

O modo P/B resulta em uma imagem preta e branco. Pessoalmente, eu não usaria esse modo. Prefiro filmar em cores e, depois, removê-las na pós-produção. Isso oferece a opção de deixar colorido se você achar que a imagem em preto e branco não é o que você queria.

Se você quiser alterar quão vívidas ou vibrantes são as cores, ou alterar o modo de cores, você também pode aumentar ou reduzir o nível de cores pelo controle de saturação. Um valor positivo aumenta as cores, um negativo, as diminui. Se estiver filmando alguma coisa para transmissão direta de TV, recomendo que você não aumente a saturação. Se você estiver filmando eventos ou apresentações que incluam cores muito fortes ou luzes coloridas, pode ser vantajoso reduzir um pouco a saturação (-10 a -15) durante a filmagem, para ajudar a evitar a sobreposição de cores (clipping de cores).

Filmando com S-Log2, S-Log3 e RAW (perfis de imagem 7, 8 e 9)

Os perfis de fotos 7, 8 e 9 estão configurados para filmar com S-Log e S-Log3, devendo ser usados também quando se filma em RAW. É importante entender que, quando se filma em S-Log2/3 e RAW, o fluxo de trabalho é bem diferente de quando se trabalha com gamas padrão. O objetivo é gravar o melhor “negativo digital” possível e, então, pegar esse negativo digital e criar a aparência final na pós-produção, corrigindo as cores e matizando-as conforme desejado. Como resultado, o que você grava na câmera pode parecer sem profundidade, desbotado e desinteressante. É apenas depois de corrigida e matizada na pós-produção que a imagem realmente ganha vida. Ao filmar em RAW, você também deve usar os perfis de fotos 7, 8 ou 9 para assegurar que a câmera esteja corretamente configurada e permitir que você monitore todo o intervalo dinâmico das câmeras via S-Log2/3. O ajuste da exposição e do equilíbrio de brancos em RAW é igual ao de S-Log2/3, de modo que basta seguir as orientações dadas aqui para S-Log2/3 quando filmar em RAW.

Observe que a opção RAW requer a chave de firmware opcional CBKZ-FS5RIF.

Perfil de foto 7 – S-Log2 com S-Gamut.
Perfil de foto 8 – S-Log3 com S-Gamut3.cine.
Perfil de foto 9 – S-Log3 com S-gamut3.

Ao filmar com S-Log2/3 e RAW, os níveis de brilho são bem diferentes de quando se filma com gamas padrão. É importante conhecer esses níveis. A Sony proporciona a seguinte base para níveis de exposição em S-Log2/3:

S-Log2 é exposto com cinza intermediário a 32% e branco a 59% (tons de pele a 45-50%).
S-Log3 é exposto com cinza intermediário a 41% e branco a 61%. (tom de pele a 47-52%).

Entretanto, ao filmar com praticamente qualquer câmera “log”, é recomendado filmar com um brilho maior do que os níveis de exposição básicos. Filmar com um log mais brilhante entre 1 e 2 paradas é uma prática normal na produção de filmes e comerciais de TV, e com a FS5 não é diferente. Diferente do gama padrão, que não funciona bem quando superexposto, os gamas log de fato funcionam melhor com exposições de alto brilho. Você aparece melhor sendo superexposto do que subexposto. Por experiência, percebi que obtenho melhores resultados na maioria das situações filmando entre 1 e 1,5 paradas mais brilhantes do que nos níveis básicos. Portanto, eu recomendo o uso dos seguintes níveis de exposição para S-Log2 e S-Log3:

Cinza intermediário: 48 a 52%
Tom de pele: 56 a 62%
Branco: 68 a 72%

Uma maneira simples de conseguir esses níveis de brilho é definir as zebras da câmera para 70% e, então, expor uma folha de papel branco de modo que as zebras apenas comecem a aparecer no papel. Com o firmware mais recente, também é possível definir as zebras para 58% e expor os tons de pele com um pouco de padrão zebra entre eles ou, se você tiver uma placa cinza de boa qualidade, definir as zebras para 50%. Outra maneira simples de expor paradas 1,5 vezes (1,5 EV) mais brilhantes do que a exposição básica é usar uma compensação de exposição e a exposição automática. Você pode fazer isso ativando a exposição automática e abrindo o menu da câmera para usar a função Mudança de AE para adicionar uma compensação entre +1 e +1,5 EV (sugiro que você defina todos os controles para o modo manual e apenas ajuste a função de íris automática ou ND automático). Agora, a câmera terá uma exposição 1,5 paradas mais brilhante do que as configurações básicas, qualquer que seja a exposição automática usada. Eu normalmente defino a câmera para exposição manual e uso o botão de controle de íris para “automático ao pressionar” para definir instantaneamente a exposição automática. Isso é rápido e fácil de fazer e muito prático em filmagens em movimento.

 

Espaço de cores e equilíbrio de brancos ao filmar em S-Log2/3

Para obter os melhores resultados, especialmente se estiver usando a PXW-FS5 juntamente com outras câmeras S-Log, você deve usar a gama de cores correta.

Para S-Log2, use S-Gamut.
Para S-Log3, use S-Gamut3 ou S-Gamut3.cine.

Se estiver usando S-Log3, eu recomendo o uso de S-Gamut3.cine, pois ele corresponde melhor ao sensor usado pela FS5. O equilíbrio de brancos é predefinido ao filmar em S-Log2/3 e RAW para que seja obtido o melhor intervalo dinâmico em condições de iluminação variável. Como resultado, você deve escolher a combinação apropriada de gama e equilíbrio de brancos para a iluminação da filmagem. Como um guia, você deve usar 5500K para luz diurna e áreas externas, 4300K para qualquer iluminação de escritório com lâmpada fluorescente ou similar e 3200K para cenas iluminadas com luzes de tungstênio. Todas as pequenas correções ao equilíbrio de brancos podem ser feitas durante o processo de gradação ou de correção de cores na pós-produção. Isso é normal para esse tipo de fluxo de trabalho.

 

Escolhendo entre S-Log2 e S-Log3

Como a PXW-FS5 não tem LUTs (tabelas de referência), eu acho mais fácil filmar em S-Log2, pois isso proporciona um contraste ligeiramente maior e uma imagem agradável no visor eletrônico que é mais fácil de focar em comparação com o S-Log3. O S-Log3 é mais fácil de usar para corrigir as cores e graduar na maioria dos casos, mas, devido à maneira como a câmera usa a gravação de 8 bits em UHD I, eu acho que o S-Log2 frequentemente funciona melhor. Se você estiver filmando em HD, o S-Log3 também pode funcionar muito bem. Se você estiver usando a FS5 juntamente com outra câmera S-Log2/3, ambas as câmeras deverão ser definidas para a mesma curva de log e gama para simplificar a gradação e a pós-produção.

Veja a segunda parte das dicas de filmagem da FS5 >

Informações adicionais

Alister Chapman é um veterano cinegrafista de TV com 20 anos de experiência e dirige sua própria empresa, a Ingenious, considerada um local onde você pode encontrar tudo sobre produção de vídeo, produção televisiva e multimídia. As opiniões expressas neste artigo representam o pensamento particular do autor, que é independente do grupo de empresas Sony. Da mesma forma, o conteúdo deste artigo não expressa necessariamente as opiniões ou políticas da Sony Corporation ou de suas subsidiárias.